Mostre-nos a visão das tuas lentes,
inscreva a sua produção no
Prêmio Rodolfo Lima Martensen

O Prêmio Universitário Rodolfo Lima Martensen é uma iniciativa da Escola Superior de Propaganda e Marketing, ESPM-Sul, que tem por objetivo promover e incentivar a produção audiovisual universitária. Estão aptos a concorrer trabalhos de alunos dos cursos de Publicidade e Propaganda, Jornalismo e Design dos Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

 

O evento acontecerá de 21 a 24 de maio de 2018 nas dependências da Escola. As inscrições para o prêmio estarão abertas de 16 de abril de 2018 a 18 de maio de 2018.

 

 

Obs: alunos de Universidades Públicas estão isentos da taxa de inscrição.

Inscrições prorrogadas até o dia 18 de maio.

Confira o regulamento do Prêmio aqui.

Rodolfo Lima Martensen

Rodolfo Lima Martensen foi um dos pioneiros Comunicação no Brasil. Com uma importante contribuição para o desenvolvimento e o ensino de publicidade e propaganda no país, Martensen foi um dos fundadores da ESPM. Começou como radialista, aos 16 anos, quando montou a Rádio Sociedade do Rio Grande, na sua cidade natal, Rio Grande (RS). Em 1931, em função de tratamento para tuberculose, mudou-se com a família para São Paulo. Na capital paulista atuou na redação e produção de programas da Rádio São Paulo. Em 1935, a convite do gerente de propaganda da Irmãos Lever no Brasil, Domingos Giorgetti, Martensen começou a produzir um programa na Rádio Difusora de São Paulo, para o lançamento da uma nova marca de sabonetes da empresa.

Nessa época, ele fundou a Cia. Royal de Rádio Produções, companhia independente dedicada à criação e à produção de programas radiofônicos. Com o sucesso do programa, Martensen tornou-se redator dos textos de propaganda da Lever e, em 1937, foi um dos responsáveis pela reabertura da Lintas (Lever International Advertising System), house agency da Unilever no Brasil. Seis anos depois assumiu o comando da Lintas.

 

Na década de 1950, Rodolfo Lima Martensen iniciou um novo desafio: o ensino da propaganda no país. Convidado por Pietro Maria Bardi, presidente do Museu de Arte de São Paulo (MASP) a montar um curso para o Instituto de Arte Contemporânea, mantido pelo museu, apresentou o projeto de uma escola profissionalizante de propaganda, com o apoio de Assis Chateaubriand, presidente dos Diários Associados. Assim nasceu a Escola de Propaganda do Museu da Arte de São Paulo, da qual Martensen foi diretor-presidente. Com o passar dos anos, a instituição cresceu e, em 1955, passou a se chamar Escola de Propaganda de São Paulo, atuando fora das dependências do museu. Em 1971, percebendo as transformações no mercado publicitário brasileiro e a necessidade de uma aposta maior da escola em marketing, Rodolfo Lima Martensen deixou o comando da escola. Sob a direção da Otto Hugo Scherb, a instituição muda de nome e passa a se chamar Escola Superior de Propaganda e Marketing.

 

 

 

Fonte: Dicionário Histórico-Biográfico da Propaganda no Brasil (2007).